Queridos, alunos, sintam-se à vontade para pesquisar e tirar suas dúvidas sobre a nossa língua. Procure o assunto a ser pesquisado no arquivo na coluna lateral. Para deixar seu comentário, questionamento, dúvidas ou sugestões utilize o mural na coluna lateral ou clique no link dos comentários.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Linguagem denotativa X Linguagem conotativa

Olá, meninos, espero que estas aulas sejam proveitosas para vocês. Naveguem e aprendam muiiiiito. Hoje vamos estudar um assunto muito importante para se fazer  uma leitura e interpretação adequadas, que é o sentido denotativo e o sentido conotativo.
Para entendermos melhor atente para o seguinte:
Estes dois conceitos são muito fáceis de entender se lembrarmos que duas partes distintas, mas interdependentes, constituem o signo lingüístico: o significante ou plano da expressão - uma parte perceptível,  material, constituída de sons da língua falada - e o significado ou plano do conteúdo - a parte inteligível, o conceito, ou seja, a ideia que é transmitida pelos fonemas . Por isto, numa palavra que ouvimos, percebemos um conjunto de sons ( o significante), que nos faz lembrar de um conceito (o significado), assim:
Não entendeu? Então, veja esse exemplo:
Exemplos:
a) "Comprei uma geladeira nova!"
b) "Minha namorada está uma geladeira comigo!"
Veja que o mesmo signo (geladeira) possui dois significados diferentes dependendo do contexto em que aparece. Na frase a, geladeira significa um eletrodoméstico destinado a manter seu interior em baixa temperatura; na frase b, geladeira pode significar frieza, desprezo, ausência de sentimentos. 
Deduzimos então, que o significante geladeira tem mais de um significado. No caso a, o signo está empregado em sentido denotativo porque a palavra  foi utilizada no seu sentido próprio e único, não permitindo outra interpretação. No caso b, o signo  (a palavra) está empregado no sentido conotativo porque ao signo foi atribuído um novo significado, ou seja, um sentido figurado e subjetivo. 
A linguagem denotativa é mais empregada nos textos científicos, em que se procura abordar os aspectos objetivos da realidade. É o sentido literal, real, aquele registrado nos dicionários. 
Já a linguagem conotativa é mais empregada no texto literário e na linguagem afetiva, em que predomina o aspecto subjetivo. Veja este exemplo:


“Amor é fogo que arde sem se ver”
No plano denotativo a mensagem não faz sentido: amor é um sentimento e fogo é um fenômeno físico – não há como compará-los. Só o faz no plano conotativo, em que associamos ao fogo, caracterizador do amor, as idéias de sofrimento ou mesmo de sensualidade.    
Outro exemplo: 
Há um desenho PREGADO no mural. 
O menino ficou com os olhos PREGADOS na menina.
Você deve ter percebido que a palavra usada, empregada nos exemplos foi PREGADO. No 1º exemplo você percebeu que a palavra PREGADO foi usada no sentido próprio, literal, comum. O dicionário registra pregado, fixado com pregos. Logo podemos dizer que o sentido é denotativo, então houve denotação. Já no 2º exemplo, a palavra PREGADOS assume um sentido figurado, associativo a pregados, fixos, presos, ligados. Logo, neste caso temos o sentido conotativo, então houve conotação. 

Diferença entre denotação e conotação
DENOTAÇÃO
CONOTAÇÃO
palavra com significação restrita
palavra com significação ampla
palavra com sentido comum do dicionário
palavra cujos sentidos extrapolam o sentido comum
palavra usada de modo automatizado
palavra usada de modo criativo
linguagem comum
linguagem rica e expressiva

Compare os textos:
TEXTO I
Bolo de arroz
3 xícaras de arroz
1 colher (sopa) de manteiga
1 gema
1 frango
1 cebola picada
1colher (sopa) de molho inglês
1colher (sopa) de farinha de trigo
1 xícara de creme de leite salsa picadinha

Prepare o arroz branco, bem solto.
Ao mesmo tempo, faça o frango ao molho, bem temperado e saboroso.
Quando pronto, retire os pedaços, desosse e desfie. Reserve.
Quando o arroz estiver pronto, junte a gema, a manteiga, coloque numa forma de buraco e leve ao forno.
No caldo que sobrou do frango, junte a cebola, o molho inglês, a farinha de trigo e leve ao fogo para engrossar.
Retire do fogo e junte o creme de leite.
Vire o arroz, já assado, num prato.
Coloque o frango no meio e despeje por cima o molho.
Sirva quente.

(Terezinha Terra)
TEXTO II
Receita
Ingredientes
2 conflitos de gerações
4 esperanças perdidas
3 litros de sangue fervido
5 sonhos eróticos
2 canções dos beatles

Modo de preparar
Dissolva os sonhos eróticos
nos dois litros de sangue fervido
e deixe gelar seu coração.

Leve a mistura ao fogo,
adicionando dois conflitos
de gerações às esperanças perdidas.

Corte tudo em pedacinhos
e repita com as canções dos
beatles o mesmo processo usado
com os sonhos eróticos, mas desta
vez deixe ferver um pouco mais e
mexa até dissolver.

Parte do sangue pode ser
substituído por suco de
groselha, mas os resultados
não serão os mesmos.

Sirva o poema simples
ou com ilusões.
(Nicolas Behr)  

5 comentários:

evelyn patrici disse...

oi , gotei muito do seu blog mais presisa de mais exenplos conotativo e de denotativo obrigada pela sua atenção.

leonardo disse...

Parabens, procurei por varios sites e não achava nada de bom. Gostei bastante do seu blog, ta bem explicado ;D

Vandir Batista de Carvalho disse...

Obrigado Silene Faro pela postagem de linguagem em seu Blogger.
Sou muito ruim em Português,mas poso te afirmar que foi muito esclarecedor pra mim.Tenho certeza que esta dúvida minha,acabou.
Parabéns.Com certeza irei visitar mais vezes este seu Blogger atrás de mais informações. Ok?
Um grande abraço
Vandir.

Silene Faro disse...

Que bom Vandir! Obrigada por visitar meu blog, volte mais vezes

Silene Faro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
"Educar é tornar o homem consciente de si mesmo, de seus deveres e direitos, de sua responsabilidade para com sua espécie. Educar é tornar o homem capaz de pensar em si e nos seus relacionamentos com os outros de modo a perceber que é impossível que ele se nutra autonomamente." (EMERENCIANO, 1996:140)