sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Função da Linguagem


 Função emotiva ou expressiva
A intenção do produtor do texto é expressar sua emoção, sentimento e opinião em relação ao tema que está abordando, por isso a mensagem centrada predominantemente no emissor da mensagem.
Características: texto pessoal e subjetivo, verbos e pronomes na 1º pessoa, interjeições, emprego de adjetivos valorativos e alguns sinais de pontuação, como as reticências e os pontos de exclamação.
É a linguagem dos livros autobiográficos, de memórias, de poesias líricas, de bilhetes e cartas de amor. Ex: 
Fui devidamente matriculado no ginásio episcopal por minha mãe, que pagou a matrícula com o seu dinheiro.
Andei macambúzio naqueles meses de princípios de 1920. Doía-me a idéia de ter de passar nove meses inteiros longe de minha gente e de minha casa. Um novo capítulo na minha vida estava por começar.
Nunca minha terra natal me pareceu mais suave e bela que naquele verão do primeiro ano da década dos 20. Eu saía em passeios de despedida pelas ruas da cidade, em casa olhava com uma ternura particular para a ameixeira-do- japão, que tanta coisa parecia dizer-me em seu silêncio.
O meu “drama” era consideravelmente agravado por um fato sentimental da maior relevância. Eu estava então seriamente enamorado duma menina pouco mais moça que eu e que correspondia ao meu afeto. Chama-se Vânia, tinha nas veias sangue italiano, um rosto redondo e corado e uma vivacidade que freqüentemente embaraçava o Tibicuera de D. Bega.
Chegou o dia da partida. Despedi-me de Vânia na véspera, com um simples aperto de mão. Combinamos a melhor maneira de manter uma correspondência secreta durante minha ausência. Juramo-nos amor eterno.
Veríssimo, Érico. Solo de clarineta. l5ª ed. Porto Alegre, Globo, 1974. p. 122-3
Função conativa ou apelativa:
A intenção do produtor do texto é envolver, persuadir e influenciar o comportamento do destinatário da mensagem, por isso a mensagem está centrada no receptor (decodificador). O emissor da mensagem procura influir no comportamento do receptor por meio de uma ordem, chamamento, apelo ou súplica.
Características: verbos no imperativo, emprego de vocativo e pronomes de 2ª pessoa (tu/vós/você/vocês).
A função conativa está presente, principalmente, nos textos publicitários, nos discursos políticos e nas propagandas. Ex:

Vexames
Muita gente não sabe usar um celular. Veja o que você NÃO deve fazer com ele.
* Não ande com o celular pendurado na calça. Fica feio. Guarde-o na mochila. Dá para escutá-lo do mesmo jeito.
* Desligue o celular durante as aulas - ou em lugares públicos, como o cinema. Depois você acessa a caixa postal e pega a mensagem.
* Nunca telefone durante a aula. Não adianta se abaixar, nem cobrir o celular com cabelo. As pessoas vão perceber que você está no telefone.
* Quando estiver com apenas uma amiga, não fique horas falando no celular.
* Não fique oferecendo o seu telefone só para ser simpática. Lembre-se da conta que vai chegar.
Capricho, 21 nov. 1999
Função poética ou estética

Ocorre quando a intenção do produtor do texto está voltada para a própria mensagem, para uma especial arrumação das palavras, quer na escolha, quer na combinação delas, quer na organização sintática da frase.
A função poética procura colocar em destaque  a própria mensagem, ou seja, chama a atenção para o modo como ela foi organizada.
Características: jogo de palavras, ritmo, sonoridade, estrutura, grafismo, espacialidade, figuras de linguagem.
É a linguagem figurada presente em obras literárias, principalmente nos textos poéticos, em letras de música, em algumas propagandas, anúncios publicitários, slogans, ditados e provérbios e na fala fantasiosa de crianças. Ex:
Balada das duas mocinhas de Botafogo
Eram duas menininhas
Filhas de boa família:
Uma chamada Marina
A outra chamada Marília.
Os dezoito da primeira
Eram brejeiros e finos
Os vinte da irmã cabiam
Numa mulher pequenina.
Sem terem nada de feias
Não chegavam a ser bonitas
Mas eram meninas moças
De pele fresca e macia.
MORAES, Vinícius de. Balada das duas mocinhas de Botafogo (fragmento)  In. Antologia poética. 24.ed. Rio de Janeiro. José Olympio, 1893. p.197.
 As duas adolescentes são descritas de maneira subjetivas ou objetivas? Como você pode notar, o emissor não se preocupou somente com o significado da mensagem. As rimas, a escolha das palavras (observe como a vogal i ocorre várias vezes no texto), o ritmo, tudo isso mostra que o poeta deu importância fundamental à maneira de montar a mensagem. Nesse caso, o significado do texto é enfatizado pela preocupação com a construção da mensagem, pois o poeta não se limitou apenas a traçar o retrato das duas adolescentes.
 Função referencial ou denotativa 

Ocorre quando a intenção do produtor da mensagem é apenas informar o receptor, por  isso a. ênfase é dada ao conteúdo, ou seja, ao referente. Quando o emissor procura oferecer informações sobre o ambiente, sobre o contexto, temos  a função referencial.
Características: linguagem objetiva, direta e clara, emprego da 3ª pessoa do singular, neutralidade do emissor. 
É a linguagem das notícias de jornal, dos textos  científicos cartas comerciais, textos técnicos, manuais de instruções, bulas de remédios, relatórios, etc.Ex:

Show em Berlim Ocidental causa pancadaria em Berlim Oriental.
O entusiasmo de uma platéia inesperada, formada por cerca de 3 mil jovens que se reuniram em Berlim Oriental para ouvir - se ver - um show de rock do outro lado do muro que divide a cidade, provocou violentos choques com a polícia no final do espetáculo. Quando o show acabou, cerca de mil, dos 3 mil “ouvintes” em Berlim Oriental, romperam o cordão de isolamento e enfrentaram os policiais que os vigiavam, os quais reagiram a golpes de cassetete. Trinta pessoas foram presas.
                                                                                                                                                                   Folha de S. Paulo, 9 julho de 1987. Fragmento.


 Função metalinguística
Ocorre quando a preocupação do emissor está voltada para o próprio código utilizado, ou seja, o código é o tema da mensagem ou é utilizado para explicar o próprio código.
Temos metalinguagem quando a linguagem  fala dela própria, a poesia fala da poesia, da sua função e do poeta, um texto comenta outro texto, a palavra explica a palavra.
Características: Utiliza o  código para explicar o próprio código, fornece informações conceituais, definições e explicações. 
A função metalinguística está presente nos textos explicativos e didáticos, nos dicionários. Ex: 
“Gastei uma hora pensando um verso
que a pena não quer escrever.

No entanto ele está cá dentro

Inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não que sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira.”
(Carlos Drummond de Andrade)
Outro exemplo:
Adolescência. [Do latim adolescência.]S.f. O período da vida humana, que sucede à infância, começa com a puberdade e se caracteriza por uma série de mudanças corporais e psicológicas (entende-se aproximadamente dos 12 aos 20 anos).
FERREIRA, Aurélio Buarque de H. Novo Dicionário da língua portuguesa. 2ª. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1986.p.48 
 Função fática

Ocorre quando o emissor tem o objetivo de iniciar, manter ou encerrar o contato entre emissor e receptor, ou seja, o objetivo é chamar a atenção do receptor e assegurar que este não se distraia e haja comunicação. A função fática também tem como objetivo testar a eficiência do canal, o que tem o mesmo valor de um aceno com a mão, com a cabeça ou com os olhos. Exemplos típicos da função fática são: "alô", "pronto", "oi", "tudo bem?" "Boa tarde", "sentem-se". É a linguagem das falas telefônicas e dos prefixos radiofônicos.
Linguagem carregada de expressões como, alô , então, entende? aí então, está me ouvindo? então tchau, aqui é a Rádio....Ex:
“Ser adolescente é ficar assim sem saber o que fazer, ? A gente não tem ideia do que quer nem do que é, você tá entendendo? A gente tá meio suspenso, meio que do lado, você concorda? Ser adolescente é isso aí, não acha? (Texto escrito por um aluno). “

Um comentário:

Histórias e contos disse...

São regras que eu era obrigado a conhecer, já que gosto de escrever e deixar minhas mensagens.

Figuras de Linguagem IV