terça-feira, 6 de maio de 2014

Bateria de exercício - Simbolismo

Ismália
Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar…
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.
No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar…
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar…
E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar…
Estava perto do céu,
Estava longe do mar…
E como um anjo pendeu
As asas para voar…
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar…
As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par…
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar…
                                   (Alphonsus de Guimaraens)
1) Qual o tema do poema Ismália?
a) A loucura e a morte
b) A solidão e o isolamento
c) O amor e a salvação
d) A natureza e a beleza
e) Delírio e loucura

2) Chamamos de antítese a figura de linguagem que consiste no emprego de termos com sentidos opostos. Qual das alternativas a seguir apresenta uma antítese?

a) “Quando Ismália enlouqueceu, / Pôs-se na torre a sonhar...”
b) “ Estava perto do céu, / Estava longe do mar...”
c) “E como um anjo pendeu / As asas para voar...”
d) “As asas que Deus lhe deu / Ruflaram de par em par...”

3) De acordo com alguns versos do poema, Ismália queria subir ao céu e descer ao mar. Esse desejo de Ismália representa:
a) uma postura contraditória
b) uma postura racional
c) uma postura religiosa
d) uma postura romântica
e) uma postura realista

4) O Simbolismo, por ser um movimento antilógico e antirracional, valoriza os aspectos interiores e pouco conhecidos da alma e da mente humana. São palavras que compravam essa característica simbolista no texto, EXCETO:
a) enlouqueceu
b) sonhar
c) cantar 
d) desvario

5) De que forma Ismália conseguiu realizar seu sonho?
a) sonhando
b) suicidando-se 
c) banhando-se
d) cantando
e) delirando

6) Considere as afirmações abaixo sobre o poema “Ismália”, de Alphonsus de Guimaraens.
I. Todo o poema é construído com base em antíteses. As antíteses articulam-se em torno dos desejos contraditórios de Ismália, que se dividem entre a realidade espiritual e a realidade concreta.
II. A partir da análise deste poema podemos afirmar que, para os simbolistas, sonho e loucura levam à libertação, pois a razão e a lógica aprisionam o homem. Dar vazão ao mundo interior; explorar zonas ocultas da mente humana é o mesmo que transcender os limites do mundo real.
III. De acordo com o desfecho do poema, o céu recebe a alma; logo, liga-se ao aspecto espiritual. O mar recebe o corpo; logo, representa o universo material.

-Quais estão corretas?
a) Apenas I
b) Apenas II
c) Apenas III
d) Apenas I e II
e) I, II e III

7) Sobre Alphonsus Guimaraens, afirma Alfredo Bosi, na História Concisa da Literatura Brasileira, “… foi poeta de um só tema: a morte da amada”. Essa obsessão faz do mundo ao redor cúmplice permanente de suas dores, como se vê na seguinte estrofe desse poeta.
a)  “Ontem, à meia-noite, estando junto
      A uma igreja, lembrei-me de ter visto
      Um velho que levava às costas isto:
      Um caixão de defunto.”

b) “Espectros que têm voz, sombras que têm tristezas
     Perseguem-me: e acompanho os apagados traços
     De semblantes que amei fora da natureza.”

c) “E o sino canta em lúgubres responsos
     Pobre Alphonsus! Pobre Alphonsus!”

d) “O olhar fito no chão, como desfeito
      Em sangue, o velho, sem me olhar segura,
      E ouvir-lhe a única frase que dizia:
      Vou levando o meu leito.”

e) “Hão de chorar por ela os cinamomos
     Murchando as flores ao tombar do dia.
    Dos laranjais hão de cair os pomos,
    Lembrando-se daquela que os colhia.”

8) De acordo com o texto:
a) Ismália sempre foi mentalmente perturbada.
b) Ismália conseguiu sonhar uma única vez, mas somente depois de estar louca.
c) Pôs-se na torre significa também procurou o isolamento.
d) A loucura de Ismália é uma consequência do seu sonho.
e) Somente estando louca, uma pessoa pode querer ter uma lua no céu e outra no mar.

9) O texto responde afirmativamente a todas as  perguntas, exceto:
a) Há apenas duas duplas de palavras que se opõem pelo significado ( longe X perto, céu X mar) ?
b) Trata-se de um fato que pode ser narrado em prosa?
c) Ismália procurou realizar o seu sonho?
d) Ismália estava mais perto do céu por estar na torre?
e) O poeta concebe o céu como um lugar que fica no alto?

10) O verso “No sonho em que se perdeu” nos informa que Ismália:
a) Já não tinha mais uma noção racional da realidade.
b) Sabia antecipadamente que, se sonhasse, ela se veria em uma torre.
c) Tinha plena consciência do que estava fazendo ao sonhar com as duas luas.
d) Voltou a de ter noção da realidade somente um pouco antes do voo mal sucedido.
e) Dormindo ou acordada, sua única realidade sempre tinham sido as luas vistas da torre.

11) O verso “Na torre pôs-se a cantar” sugere principalmente que:
a) Ismália, antes de enlouquecer, alternava momentos de alegria e de tristeza.
b) Ismália, por considerar-se perto do céu, poderia já estar identificando-se com um anjo.
c) A moça cantava porque imaginava que a torre era um palco.
d) A velha, muito religiosa, sabia que somente os anjos cantam a glória de Deus.
e) Os loucos, como não conseguem falar direito, comunicam-se através do canto.

12) Os versos “E como um anjo pendeu / as asas para voar” indicam que:
a) Ismália, dada a sua pureza, já era um anjo em vida.
b) O sonho da vida inteira de Ismália era tornar-se um anjo.
c) Os anjos são seres imateriais, entretanto só voam porque têm asas.
d) Ismália fez movimentos como para preparar-se para alçar voo.
e) Ismália tinha consciência de que, sem asas, não poderia voar.

13) O poema Ismália é o mais popular de Alphonsus de Guimaraens.
1- Identifique alguns elementos responsáveis pela intensa musicalidade que caracteriza o poema, considerado antologico tanto em relação à produção do autor quanto em relação ao simbolismo brasileiro.

2- Na segunda estrofe quais são os desejos de Ismália e o que representam?

3- Na quarta estrofe, o que acontece com Ismália?
a) Do ponto de vista de uma visão racional da existência.

b) Do ponto de vista de uma visão simbolista da existência. 

14) Analise as proposições a seguir sobre o simbolismo, como escola literária. Escreva (F) para as falsas e (V) para as verdadeiras, seguindo a ordem em que se apresentam.
I - Apresenta-se como uma estética oposta à poesia objetiva, plástica e descritiva, praticada pelo Parnasianismo, e como uma recusa aos valores burgueses. (  )
II - Define-se pelo irracional, descobrindo um mundo estranho de associações, de ideias e sensações. (  )
III - Propõe uma poesia pura, hermética e misteriosa, que usa imagens, e não conceitos. (  )
IV - Foi um movimento de grande receptividade e repercussão junto ao público brasileiro.(   )
V - Revolucionou a poesia da época, com o uso de versos livres e de uma temática materialista. (     )

-A alternativa correta é:
a) v – v – v – v – v
b) v – f – v – f – v
c) f – v – f – v – f
d) f – f – v – v – f
e) v – v – v – f - f

15) Observe o verso: “Ó sonora audição colorida do aroma”. Assinale a alternativa que caracteriza o verso quanto ao estilo de época:
a) É simbolista: o autor usa palavras que transmitem sensações diversas e simultâneas de audição, visão e olfato.
b) É romântico: explora uma linguagem emocional voltada para os problemas íntimos.
c) É parnasianista: cultiva a perfeição sonora, o vocabulário preciosista, o delírio de grande musicalidade.
d) É barroco: sua linguagem é densamente figurada com paradoxos sensacionais.
e)  É neoclássico: valoriza uma descrição idílica e sonora da natureza.

16) Coloque V (verdadeiro) ou F (falso) para as afirmações que seguem.
(   ) Os temas centrais desse poema, bem marcados nas duas primeiras estrofes, são o amor e a saudade.
(   ) Um dos mais significativos poemas simbolistas, Ismália aborda a dualidade entre corpo e alma.
(  ) A partir de um jogo intertextual, o poema de Alphonsus de Guimaraens parodia o drama de Narciso diante do espelho.

-A sequência correta é:
a) F, V, F.   
b) V, V, F.   
c) V, F, F.   
d) F, F, V.   
e) V, F, V.   

17) Relacione o poema Ismália a estes versos de Carlos Drummond de Andrade:
            Não serei o poeta de um mundo caduco.
            Também não cantarei o mundo futuro.
            Estou preso à vida e olho meus companheiros.
            Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
            Entre eles, considere a enorme realidade.
            O presente é tão grande, não nos afastemos.
            Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas

-É correto afirmar que:
a) ambos colocam em destaque o tema da loucura.   
b) apenas os versos de Drummond apresentam a ideia do esvaziamento do “eu”.   
c) os poemas se opõem, já que Drummond propõe uma poesia ligada à realidade.   
d) ambos retratam a angústia dos seres incompreendidos pelos seus companheiros.   
e) apenas em Ismália é possível identificar o desejo de um futuro melhor.   

Nenhum comentário:

Figuras de Linguagem IV