sábado, 12 de dezembro de 2009

Educação e tecnologia

“[...] É necessário repensar a escola e a educação no sentido mais amplo. A escola deve ser menos lecionadora e mais organizadora de conhecimento, articuladora dos diversos espaços do conhecimento.” (Dowbor, L., 2001)

Realmente, Dowbor tem plena razão, mas o que se vê, ainda ainda hoje, em pleno século XXI, com essa tecnologia, são professores apenas repassando conteúdos de uma forma mecânica e tradicional para alunos, quando não indiferentes ao que o professor fala, são absurdamente passivos. A escola tem que ser um lugar de construção de conhecimentos em todas as áreas, mas não vai ser repassando conteúdos de forma tradicional que isso vai acontecer.
Não se pode mais pensar a educação desta forma, o mundo "lá fora" é totalmente diferente e o aluno precisa realmente aprender a aprender, ou seja, aprender a estudar, enfim, precisa saber se "virar", mas isso só vai acontecer se a escola como um todo mudar sua postura e os professores mudarem sua metodologia.

Segundo Moran, "é importante educar para a autonomia, para que cada aluno encontre o seu próprio ritmo de aprendizagem e, ao mesmo tempo, é importante educar para a cooperação, para aprender em grupo, para intercambiar idéias, participar de projetos, realizar pesquisas em conjuntos."
Acredito que a educação aliada à tecnologia pode mudar esse quadro, principalmente, o uso do computador e da internet, pois o aluno está inserido num mundo quase que totalmente digital e a escola não pode ficar ficar fora desse mundo. No caso da internet, se os alunos forem bem orientados para utilizá-la de maneira segura e responsável pode ser uma grande aliada do professor, pois será uma fonte de motivação para o aluno, pela novidade e pelas possibilidades inesgotáveis de pesquisa e interação que oferece.
Não basta a tecnologia na escola, o professor e todo corpo técnico precisa saber utilizá-la de forma criativa na educação. Não basta a boa vontade do professor em aprender e querer aplicá-la com seus alunos, o sistema tem que fazer a sua parte dando suporte para esse professor e deixando de ser burocrático, lento e, muitas vezes, omisso.
Moran diz que ensinar com as novas mídias será uma revolução, se mudarmos simultaneamente os paradgmas convencionais de ensino que mantêm distantes professores e alunos. Caso contrário, conseguiremos apenas dar um verniz de modernidade, sem mexer no essencial, e isso vale para todos os segmentos da educação, não apenas para os professores.

Nenhum comentário:

Figuras de Linguagem IV